Leilane Souza é professora e pela profissão, tem contato com diversos tipos de pessoas. Ela faz aulas de Libras (Língua Brasileira de Sinais) desde a primeira turma ofertada pela Escola do Legislativo, quando as aulas ainda eram presenciais. A cada novo módulo, ela busca aprender mais sobre o universo da comunicação com surdos.

Nesta pandemia decorrente do novo coronavírus, o interesse em continuar os estudos a fez participar da turma virtual disponibilizada pela instituição. A facilidade proporcionada nesta modalidade de ensino tornou a qualificação de Leilane ainda mais dinâmica. “Estudar no tempo disponível é até mais prático porque você usa seu aparelho celular para fazer tudo, posso não estar em casa, mas assisto aos vídeos da professora”, disse.

Ela até arrisca responder algumas perguntas em Libras, como identificar pessoas da família, números, animais, resultado do empenho e dedicação com as aulas virtuais. “Estar preparada para quando encontrar algum surdo que eu use a Libras na comunicação”, explicou Leilane.

Adaptação

A plataforma de ensino virtual da Escola do Legislativo atingiu mais de 90 mil alunos desde a implantação, em abril deste ano; destes, 1.965 só para duas turmas de Libras. A adaptação a esta forma de ensino atingiu a todos, inclusive os professores acostumados com a sala de aula.

Quem diga a professora do curso de Libras, Cláudia Borges. “De fato, foi bem novo para todos nós professores da Escola. Especialmente Libras é muito contato mesmo”. Ela destaca que as aulas reúnem alunos de todas as idades, desde adolescentes às pessoas da terceira idade com dificuldades na coordenação motora.

Cada videoaula gravada para a plataforma EaD da Escola do Legislativo é planejada e aplicada para acesso gratuito dos alunos previamente inscritos. Depois, os docentes acompanham o processo pelo chat e tiram dúvidas.

A diretora da Escola do Legislativo, Cristina Mello, disse que a procura por este tipo de curso da área de Educação é constante. “Esse curso hoje faz a diferença na vida das pessoas, não só nessa área de educação, mas também no cotidiano, na vivência de cada um”.

Educação inclusiva

Em 2018, o curso de Libras da Escola do Legislativo Cursos Preparatórios iniciou como parte do projeto “Inclusão Social Escolar”, contemplado no edital da Vepema (Vara de Penas e Medidas Alternativas), do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR).

A Libras (Língua Brasileira de Sinais) foi considerada língua oficial do Brasil em 24 de abril de 2002 com a Lei nº 10.436. É uma modalidade que reúne gestos e expressões visuais e é essencial para comunicação com pessoas surdas.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR