Durante uma conversa bem descontraída e cheia de exemplos, a equipe do Fiscaliza Roraima, programa da Assembleia Legislativa, orientou alunos do 8º e 9º ano da Escola Estadual Maria Sônia de Brito Oliva sobre como é possível fiscalizar os serviços públicos prestados a população. Durante a ação na tarde da última segunda-feira (25), os alunos apontaram questões relacionadas à falta de estrutura na instituição de ensino.

O líder da turma, Felipe Rodrigues, de 15 anos, disse que irá recorrer ao programa para tentar mudar a realidade que os alunos precisam enfrentar. “A gente tem que correr atrás. Já falei bastante lá na secretaria e não fizeram nada, vou ligar [para o Fiscaliza Roraima] pra ver se acontece alguma coisa”.

Ar condicionado em mau funcionamento, cadeiras quebradas e paredes deterioradas foram apontadas pelo estudante de 13 anos, Vinicius de Morais. Na avaliação dele, ter meios de reivindicar seus direitos é importante para fazer valer o que já está garantido por lei. “Essa forma da Assembleia estar interagindo com as pessoas é muita boa. É fácil de denunciar”.

O diretor de fiscalização, Marcelo Moreira, explicou que as ações nas escolas alcançam o público mais jovem, que está sempre compartilhando informações e agem como divulgadores desses serviços. “A gente vê o interesse deles nas perguntas que eles fazem, até de saber como o Fiscaliza pode passar a ser uma ferramenta útil pra eles.”

Para a coordenadora pedagógica da escola, Maria Sônia Aguiar, esta é uma fase em que os jovens absorvem bastante conteúdo e isso influencia na forma como percebem o mundo e tomam decisões. “Nossos jovens precisam de informações para poder formar seu caráter, para poder cobrar os direitos.”

O Fiscaliza Roraima acompanha a prestação de serviços públicos como saúde, educação e saneamento básico. Para realizar alguma denúncia ou solicitar essas orientações, os interessados podem ir pessoalmente na sede da instituição, na rua Agnelo Bittencourt, 232, Centro, ou entrar em contato pelo telefone 98402-1735. Para a comodidade do cidadão, também é possível realizar a reclamação por meio do site fiscalizarr.com.br ou pelo aplicativo disponibilizado para o sistema androide.

Texto: Bárbara Araújo

Foto: Isaías Amaral

SupCom ALE-RR