A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), ouviu mais três pessoas que atuavam como fiscais no contrato da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) com a empresa Coopebras (Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde), nesta quarta-feira (27). Outras três testemunhas serão interrogadas na quinta-feira (28), a partir das 14h.

Ao longo dos depoimentos, uma das testemunhas relatou à comissão possíveis irregularidades na escala de médicos. Ela pontuou situações em que os profissionais teriam jornadas duplas ou plantões fora do estabelecido em contrato.

Para a deputada Lenir Rodrigues (Cidadania), estas oitivas são importantes para que os deputados avaliem o grau de conhecimento de cada fiscal em relação ao contrato. “Foram pessoas que atuaram em um período curto, mas cada uma delas trouxe fatos novos. Acredito que agora é a hora de avaliarmos esses conteúdos”, explicou.

A parlamentar esclareceu que o foco da CPI não são os médicos, mas analisar os contratos, e verificar se existem irregularidades. “O objetivo da CPI é ver se o dinheiro público está aplicado corretamente, se o processo licitatório foi realizado de forma legal. Esse é objetivo da CPI, é detectar falhas, e nós vamos provar para a sociedade, que por meio da comissão é possível detectar os gargalos na Saúde”, esclareceu.

Os parlamentares questionaram as testemunhas sobre como funcionava a fiscalização dos contratos e das escalas de plantões, se havia irregularidades, ou algum envolvimento de políticos no contrato. Duas das testemunhas também entregaram documentos para embasar os relatos.

A CPI ainda vai ouvir mais três pessoas na quinta (28), a partir das 14h sobre este contrato. Ontem (27), foram interrogadas quatro pessoas sobre o assunto.

Nesta reunião, participaram os deputados Jorge Everton (MDB), Coronel Chagas (PRTB), Nilton Sindpol (Patri), Renato Silva (Republicanos) e Evangelista Siqueira (PT).

CPI da Saúde solicita mais dois processos à Sesau

Na manhã desta quarta-feira (27), a CPI da Saúde solicitou mais dois processos à Sesau, referentes a medicamentos e laboratórios odontológicos. Uma equipe esteve no local para tirar cópias dos documentos, acompanhado do relator do grupo, deputado Jorge Everton.

Na ocasião, o parlamentar explicou que essa análise processual e de testemunhos vão acrescentar no relatório da comissão. Ele ressaltou a importância da CPI, na investigação de possíveis fraudes nestes processos. “Iremos ouvir mais testemunhas e a partir daí irão surgir novas diligências, porque uma testemunha faz o desdobramento de outra diligência”, finalizou.

Neste período, também foram realizadas oitivas sobre alimentação, oxigênio, e no momento, os parlamentares ouvem testemunhas referente a frequência dos médicos das unidades de saúde.

Texto: Vanessa Brito e Bárbara Araújo

Foto: Alfredo Maia

SupCom ALE-RR