Durante sessão virtual da Assembleia Legislativa de Roraima, na tarde desta quinta-feira (28), o deputado Nilton Sindpol (Patriota) mostrou preocupação com as condições de trabalho dos profissionais da Saúde e Segurança Pública.

O parlamentar contextualizou que em média são registrados 11 óbitos por dia, e que acredita que até o final de junho esse número pode chegar a 330 mortes. Neste cenário, disse estar preocupado com as condições de trabalho dos enfermeiros, pois recebeu reclamações desta classe, relatando a má qualidade nos equipamentos de proteção individual, além da perda de vantagens salariais neste mês.

“Isso me preocupa mais ainda porque estes profissionais ultrapassaram o seu limite no esgotamento físico e psicológico diante desse trabalho que enfrentam ali, correndo risco de contaminação e de levar esse vírus para dentro do seu lar.”

Outra preocupação do deputado são os profissionais de segurança pública. O parlamentar informou que atualmente o Instituto Médico Legal de Roraima está fechado devido ao quadro reduzido de profissionais, pois os servidores estão doentes. Segundo o deputado, são apenas 14 peritos para atender todo o estado.

“Muitos são da União, já têm uma idade considerada, são do grupo de risco, estão em casa. Também não se tem os EPI’s, mesmo o fundo da Polícia Civil tendo mais de R$ 1 milhão na conta. Então fica a interrogação, porque esse dinheiro não está sendo utilizado para que os policiais possam cumprir o seu papel?”

Jorge Everton diz que atos na Sesau foram “devastadores”

Durante a sessão remota desta quinta-feira (28), o deputado Jorge Everton (MDB) expressou indignação com a forma que a Saúde está sendo tratada em meio a pandemia. Segundo ele, que é relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, foram feitos atos “devastadores” na Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

O parlamentar disse que é preciso entender o que está acontecendo nos bastidores do Governo, como uma forma de prestar contas com a população. “Ninguém sabe o que está acontecendo, não temos um diálogo, nós temos que falar pelo um coletivo social. A preocupação é com as vidas que estão se perdendo, preocupação com os profissionais de Saúde e Segurança Pública que estão adoecendo.”

A principal reivindicação do deputado, é resolver as demandas recebidas pela população. Ele afirma que diariamente pacientes entram em contato com os parlamentares da Assembleia Legislativa por acreditarem no trabalho dos deputados.

“Nós precisamos de união para correr atrás de uma solução política. As pessoas entram em contato conosco porque acreditam na CPI, são pessoas que dizem que estão vendo nosso trabalho nessa casa, são por essas pessoas que temos que lutar, que temos que cobrar e buscar soluções para esse descaso”, finalizou.

Em complemento, o deputado Soldado Sampaio (PC do B) cobrou uma posição por parte do Governo do Estado perante a Assembleia Legislativa. “É hora de nos posicionarmos e de chamar o governador para uma conversa franca, orientá-lo e construir um entendimento com a Assembleia Legislativa, órgãos de controle e sociedade”, explicou Soldado Sampaio.

Texto: Vanessa Lima e Ana Lucia Montel

Foto: Reprodução / TV Assembleia

SupCom ALE-RR