Pular para o conteúdo

ROMANCE, HISTÓRIA E FANTASIA
Escritores de Roraima expõem livros na Assembleia Legislativa

Os escritores Bruno Cláudio Garmatz e João Euclides Junges vão expor, autografar e comercializar suas obras nesta quinta (26) e sexta-feira (27) no Espaço Cultural Maria Luiza Vieira Campos, no hall de entrada da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

O local, conforme a diretora de Assuntos Institucionais da ALE-RR, Adriana Cruz, foi reinaugurado ano passado, tem capacidade para 400 pessoas e leva o nome de uma ex-parlamentar ligada à área da cultura no Estado.

“Nosso fluxo diário de visitantes é, em média, de 1,2 mil pessoas. Então, a nossa perspectiva de divulgação e contato da população com a arte e cultura se torna importante com esse número expressivo circulando nesse espaço. Voltando a organizar essas atividades, a ALE-RR cede essa área tão importante para a cultura local aos escritores Bruno Garmatz e João Euclides, que vão disponibilizar seus produtos para as pessoas que queiram visitar, conhecer ou até mesmo comprar essas obras”, explicou Adriana.

De acordo com Garmatz, que também é fotógrafo e jornalista formado pela Universidade Federal de Roraima (UFRR), os livros versam sobre romance, história, ficção/fantasia e variam entre R$ 25 e R$ 200.

“Eu escrevo romances, livros históricos, ficção sobre Roraima. Tem de tudo um pouco, e para todos os gostos. A maioria das fotos do livro ‘Monte Roraima’ é minha. Conta com mais de 500 imagens”, destacou o autor.

Segundo ele, a obra dedicada a um dos pontos turísticos mais conhecidos do Estado foi lançada em 2013 e possui também imagens de outros fotógrafos parceiros.

“Eles me ajudaram muito a compor com fotos que eu não tinha, por exemplo. O livro se tornou até uma referência, em termos de Roraima, porque mostra todo o Estado, as regiões, cultura, artesanato, comidas típicas, de tudo um pouco. Eu quis mostrar Roraima para outros estados do Brasil”, frisou.

A publicação mais recente do escritor foi “Mi nombre es”, que descreve a problemática da migração venezuelana em Roraima. Durante a construção do livro, Garmatz entrevistou imigrantes que moram no Estado há algum tempo e relataram o que passaram antes do processo de mudança de país.

“Eles contam a história de vida deles, desde a infância, adolescência, o trabalho que tinham na Venezuela, a cidade em que moravam e tudo o que implica essa questão da migração. Então, é um livro muito interessante, mostra um retrato do que é essa migração”, explicou.

O autor João Euclides Junges entrou para o mundo literário há cerca de oito anos, após ter depressão e tentar se matar por três vezes. Seus livros falam sobre suas vivências após fugir de casa aos 18 anos. Ele relata que escreveu seu primeiro livro depois de vencer esse período difícil.

“Em um sonho, Deus enviou um anjo para me dizer: ‘guri, escreve um livro’. E comecei a escrever. Tive seis livros, segundo grau incompleto, meu português não é bom, mas Deus colocou as pessoas certas para me ajudar. Nunca pensei em ser escritor. Sempre gostei de ler desde a infância no Rio Grande do Sul. Sempre fui amante da leitura”, detalhou.

Obras de Bruno Cláudio Garmatz:

– 50 causos para alegrar seu dia

Pequenas crônicas envolvendo personagens reais, de várias partes do país, voltadas para o lado cômico. Criado para distração de leitores durante a pandemia de covid-19.

– Pérolas & Porcos

E-book sobre romance de ficção acerca da história de um médico que denuncia a corrupção que ocorre na prefeitura de Beleléu, município do interior do Brasil. Porém, o profissional é assassinado e se começa uma caçada ao suspeito.

– Remanescentes das Sombras

Romance de ficção baseado no roteiro do filme homônimo gravado em Roraima, em 2009, sobre a história do nazista Von Deck que vem se esconder no Estado, após fugir da perseguição de comandantes nazistas durante a segunda Guerra Mundial.

– Conversando com Guillermo

Trata das andanças do costa-riquenho Guillermo Alfaro Garbanzo, encontrado num asilo de Boa Vista. O andarilho conheceu 126 países em 30 anos de viagem, durante as décadas de 1940, 1950 e 1960.

– O Homem de Barlovento

E-book sobre romance de ficção que narra a história de amor entre o procurador do Ministério Público Federal Maurício e a jornalista Luíza. Ambientado em Roraima, Goiás e Venezuela, traz mistério e toque de espiritualidade.

– Escolhas Erradas

E-book que descreve a história de um jovem que sai do Rio Grande do Sul com destino ao Mato Grosso, onde inicia uma pequena indústria na década de 1970. Um certo dia, um estranho lhe faz uma proposta para integrar um esquema de notas superfaturadas junto a órgãos do governo. Aos 50 anos, o homem adoece e começa a refletir sobre as decisões que tomou.

Obras de João Euclides Junges:

– Aventuras de um Desconhecido

Retrata a história de vida do próprio autor que escapou da morte. Na obra, João Euclides conta que encontrou salvação nos livros. “Aventuras de um Desconhecido” é um livro comovente e divertido que toca o coração de quem lê.

– Caminhando sobre os Sonhos

Escrito em parceria com o autor gaúcho Eroquês Velho, os textos foram elaborados por meio de fragmentos relevantes de histórias que foram colhidas de vivências diversas. Recolheram tudo o que estava armazenado em seus corações e espalharam pelos recantos dos livros.

– Grito de Alerta

Bela e desafiadora proposta literária, com uma temática definida, abrangente, de domínio público e que traz um forte apelo social.

– A Arte de vender Livros e suas Histórias

Narra a batalha diária de um escritor, vendedor dos próprios livros, que vai ao encontro de seu futuro leitor.

– A Menina e o Poeta

O livro mostra uma relação transformadora entre a beleza da juventude e a experiência de um homem bem mais velho. Encontros e distanciamentos dão a tônica de um romance ambientado na Amazônia e vivido com muita intensidade.

– Entrada do Céu

O livro é baseado num sonho que João Euclides teve, quando imaginou dividindo-se entre a terra e o céu. O sonho foi tão “real” que Euclides decide se dividir em dois, seu corpo continua aqui na terra, mas o seu espírito vai dar uma viajada, para ver como é a “Entrada do Céu”.

Texto: Suzanne Oliveira

Fotos: Alfredo Maia/ Eduardo Andrade/ Nonato Sousa

SupCom ALERR

Compartilhar

Arquivos

0