Pular para o conteúdo

INFORMAÇÃO E EDUCAÇÃO
Procuradoria Especial da Mulher faz palestra sobre violência doméstica para alunos do ensino fundamental

Uma equipe multidisciplinar da Procuradoria Especial da Mulher (PEM), programa da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), realizou nesta sexta-feira (16) mais uma palestra no sistema de ensino sobre os principais tipos de violência contra a mulher, suas consequências, Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2016) e a rede de proteção. Os alunos do ensino fundamental da Escola Estadual Mario David Andreazza foram os contemplados.

Durante o diálogo, a equipe também apresentou a estrutura de apoio especializado presencial e gratuita – composta por psicólogo, assistente social e advogado – que o órgão oferece (Chame, Núcleo Reflexivo Reconstruir e ZapChame). O Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) acolhe as vítimas, enquanto o Núcleo Reflexivo Reconstruir é destinado a reeducar quem comete a violência por meio de orientações, palestras e rodas de conversa.

Atualmente, o núcleo atende 20 homens encaminhados pela Vara de Execuções das Penas e Medidas Alternativas, do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR). Já o atendimento remoto é através do ZapChame no número (95) 98402-0502, que funciona 24 horas, inclusive nos fins de semana e feriados.

“Estamos numa escola de ensino fundamental para que a criança receba informações que ela ainda não tem, no caso da violência doméstica e familiar contra a mulher. Além disso, informar que temos uma rede de apoio caso seja necessário, para que possamos romper ciclos de violência”, esclareceu a terapeuta do Chame Janaína Nunes.

Para Natasha Cristielly Santana, de 14 anos, aluna do 9º ano, foi uma surpresa descobrir que existem diversos tipos de violência doméstica – moral, psicológica, patrimonial, sexual, física e cibernética. Ela acredita que as informações repassadas vão tornar os estudantes mais conscientes e aptos a identificar as situações de risco.

“Foi a primeira vez que assisti a essa palestra, e isso é bastante importante, pois levaremos esse conhecimento para a vida toda, inclusive para nós, do 9º ano, que estamos entrando em uma nova etapa. Nunca tinha visto algo assim em nenhuma escola, mas é importante, né? Pois foi a partir dessa palestra que percebi que existem tantos tipos de agressões. Então, essa é forma de prevenção para não se machucar e acredito que as meninas aqui na escola também devem se concentrar nesse assunto, pois é um passo importante a ser seguido”, destacou.

A gestora da escola, Maria Luzia Melo, ressaltou que, para a instituição de ensino, é uma forma de abrir o diálogo sobre um assunto sensível.

“Às vezes, não identificamos a questão do abuso familiar, né? Quando eles assistem a uma palestra de grande relevância, trazida pela procuradoria, isso faz com que se desinibem para conversar conosco, porque temos um serviço de orientação na escola, mas nem sempre o aluno se sente à vontade. A palestra abre a possibilidade para que eles procurem os órgãos competentes, pois traz informações e os faz se sentirem mais livres para entender que podem, sim, denunciar e também superar essa violência em casa”, salientou.

Prevenção continuada

Desde maio, a equipe do PEM visitou 11 escolas estaduais de Boa Vista, alcançando aproximadamente 1.200 alunos. O intuito das palestras é disseminar a importância do respeito, da igualdade de gênero e do combate à violência, promovendo uma mudança cultural no segmento em idade de formação.

Com o recesso escolar se aproximando, a diretora da PEM, Glauci Gembro, ressaltou que o órgão se voltará para ações de conscientização nos equipamentos de acolhimento à mulher da rede pública.

“Estamos levando as palestras para as escolas estaduais neste momento. Agora, com o início das férias, teremos esse recesso e levaremos essas informações sobre a violência doméstica a um novo público-alvo. Vamos estar no Centro de Referência da Saúde da Mulher, no Hospital Coronel Mota e outros. Depois, quando os alunos voltarem de férias, vamos realizar essas ações ao mesmo tempo.”, adiantou a diretora.

Na capital e no interior

Os serviços (Chame e Núcleo Reflexivo Reconstruir) da Procuradoria Especial da Mulher ocorrem na sede em Boa Vista, localizada na Avenida Santos Dumont, 1470, bairro Aparecida, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Os moradores de Rorainópolis e adjacências podem buscar apoio no núcleo da PEM na Rua Senador Hélio Campos, sem número, BR-174. O serviço multidisciplinar funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Texto: Suellen Gurgel

Fotos: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Arquivos

banner assembleia 125x125

Notícias Relacionadas