Indignado com a qualidade da alimentação servida no maior hospital do Estado, parlamentar cobrou providências do Governo do Estado

Ao usar a tribuna da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) nesta terça-feira (4), o deputado Jeferson Alves (PTB) criticou a alimentação servida no Hospital Geral de Roraima (HGR) e chegou a compará-la à comida servida aos porcos, devido à qualidade dos alimentos. A afirmação foi feita após o parlamentar realizar uma visita na unidade de saúde no último fim de semana.

Em seu pronunciamento, o deputado ressaltou que ouviu relatos de pacientes sobre a alimentação. “O Estado paga por um serviço caro, com contratos altos, mas de péssima qualidade. Hoje, mais parece uma lavagem de porco, o que é uma falta de respeito com o cidadão”, afirmou.

Atualmente, o fornecimento de alimentos ao HGR é realizado por uma empresa terceirizada e, segundo o parlamentar, é um desperdício de recurso público. “Pessoas ali já estão à beira da morte e ainda têm que receber uma comida de péssima qualidade”.

Em aparte, o deputado Nilton Sindpol (Patri) também criticou a qualidade do alimento servido na maternidade. “É inadmissível que na comida tenha mosca, cabelo e outras coisas que a gente não enxerga. Estamos no sexto mês do ano e cadê os gestores que não enxergam isso? É preciso ter prioridades”, destacou.

O deputado Renan Silva (PRB) cobrou apoio do Governo Federal com relação à situação dos imigrantes que também utilizam os serviços do HGR. “A maioria dos imigrantes que estão na rua, hoje, procuram o HGR. O Governo Federal mandou R$ 224 milhões para a Operação Acolhida, mas não mandou nem R$ 1 para o Estado”.

Também em aparte, o deputado Renato Silva (PRB) falou da importância de o Legislativo cobrar o Executivo com relação à prestação de serviços. “Já levei ao secretário de saúde pedidos de cancelamentos de contratos que não estão sendo feitos com qualidade, contratos que não chegam nem a ser feitos, mas que todo mês recebem”, disse.

Jeferson Alves encerrou o discurso comentando sobre a Intervenção Federal, que o Estado sofreu no fim do ano passado. “Foi necessária, tendo em vista a má gestão do governo anterior. A saúde pública de Roraima nunca funcionou como deveria e o pouco que tinha ainda roubaram. Empresas prestando serviços de alimentação ao HGR e maternidade cobrando preços altíssimos. Tá mais do que na hora do governo tomar uma atitude”, concluiu.

CPI da energia

Em seu discurso, Jeferson Alves comentou ainda sobre a sugestão de abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para discutir a situação do setor energético, após uma audiência pública no último dia 28 de maio na Assembleia Legislativa de Roraima.

O parlamentar falou do questionamento que fez ao representante da empresa Roraima Energia sobre o aumento das faturas. “Tivemos a oportunidade de questionar o porquê de todos os meses a fatura estar aumentado, sendo que não aumenta o consumo. Estamos propondo aqui, nessa Casa, a criação de uma CPI para que possamos investigar e trazer para a sociedade uma alternativa para esse problema”, informou.

Texto: Jéssica Sampaio

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR